domingo, 18 de agosto de 2019
11998400996
Cidades

09/08/2019 às 23h58 - atualizada em 10/08/2019 às 00h03

Redação

COTIA / SP

Cetas recebe aves atingidas por linhas com cerol
Após o tratamento elas são devolvidas aos ambientes de origem. No caso de animais que, devido a algum trauma, não podem ser devolvidos à natureza, eles são encaminhados a zoológicos, criadouros comerciais, criadouros científicos ou mantenedores de fauna.
Cetas recebe aves atingidas por linhas com cerol
Passaro ferido

O Centro de Triagem de Animais Silvestres de Barueri (Cetas) recebeu de 24 de junho a 29 de julho oito aves que foram atingidas por linhas com cerol. Os acidentes ocorreram nos municípios de Barueri (Vila Militar, Vila Porto, Jardim Júlio e Vila Universal), de Carapicuíba (avenida Inocêncio Seráfico), de Cotia (Jardim Rio Cotia) e em Itapevi (Transurb). Destas oito aves recebidas e atendidas, metade delas (marreca-cabocla, coruja-orelhuda, suindara e mocho-diabo) veio a óbito e a outra metade (duas corujas-orelhudas, uma suindara e um quero-quero) segue internada para recuperação dos ferimentos.


 Após o tratamento elas são devolvidas aos ambientes de origem. No caso de animais que, devido a algum trauma, não podem ser devolvidos à natureza, eles são encaminhados a zoológicos, criadouros comerciais, criadouros científicos ou mantenedores de fauna. Os animais costumam ser resgatados pela Policia Militar Ambiental, pelas Guardas Civis municipais, pelo Corpo de Bombeiros e por servidores das secretarias municipais de Meio Ambiente. Quando os animais chegam ao Cetas Barueri é realizado um cadastro, em que são coletadas informações como nome do local onde ocorreu o resgate, nome de quem realizou o socorro e estado de saúde do animal. O cadastro tem por finalidade uma futura soltura do animal e o mapeamento geral das entradas no Centro.


  Como ajudar


No caso de algum cidadão encontrar uma ave atingida por linha contendo cerol, ele deve comunicar a Polícia Militar Ambiental ou a Guarda de Barueri para realização do resgate. O munícipe não deve tentar socorrê-la, pois é necessário conhecimento e técnica para realização desse tipo de salvamento.  Tendo em vista o risco deste material, em Barueri o cerol (ou a linha chilena) é proibido pela lei 1.384, de 3 de outubro de 2003, lei 2.054, de 4 de abril de 2011, e pelo decreto 7.890, de 28 de maio de 2014. Já a Resolução SEMA 3, de 07 de agosto de 2018, da Secretaria de Recursos Naturais e Meio Ambiente, proíbe empinar “pipas” ou “papagaios” nos parques municipais Dom José e Ecológico.


 

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados